MULHERES EM SI

Você é DONA DE SI?

Vive a própria vida, faz as próprias escolhas, lida com os próprios recursos?

 

Ou ainda precisa pedir a benção para fazer, escolher, decidir... talvez para seu parceiro (a) ou ainda, nesta altura do campeonato, para seus pais?

 

MULHERES EM SI é um trabalho vivencial que traz à luz informações ocultas para que a gente vá se liberando de medos, traumas e travas inconscientes...

 

É um trabalho para mulheres que escolhem, todos os dias, assumir o seu lugar na família e, consequentemente, na vida.

Mulheres que escolhem Ser e não apenas fazer, fazer, fazer...

Mulheres que decidiram sair do estado infantil, carente e inocente para (re) tomar o leme do barco de suas vidas, sua força vital e poder pessoal.

Mulheres que descobriram que caminhar ao lado de outras faz com que a jornada se torne mais leve, clara e divertida.

Mulheres que escolhem somar à vida dos seus e não ser mais um peso.

"GENTE FELIZ NÃO ENCHE O SACO!" 

 

Quando comecei este projeto com mulheres, no início de 2019, dei o nome à ele de ‘Mulheres em Cura’ e assim tivemos vários encontros maravilhosos.

Com o passar do tempo, a palavra cura foi me incomodando, pois ela traz consigo a informação de que se está doente. E eu não acredito mais na doença, pelo menos não como nossa cultura nos ensinou até hoje.

 

Além disso, quando ficamos querendo "a cura", ela não vem, exatamente porquê estamos focados nela. O treino mental diário é focar na SOLUÇÃO! Tirar o foco do problema, sair do drama, parar de contar histórias, sair das ilusões e viver a VIDA REAL!

 

Já sabemos que a doença nada mais é do que uma informação, uma mensageira da alma! Eu diria até que nossa amiga! A melhor delas, inclusive, pois nos fala a verdade.

 

Ela pode vir nos dizer que algo ou alguém está fora de lugar ou faltando, ou que eu estou fora do meu lugar no meu sistema familiar, que é preciso recalcular a rota, reconciliar com histórias e pessoas, ressignificar e compreender velhos traumas infantis, etc..

 

Por favor, não acredite em diagnósticos sem solução. A doença é uma mensageira, só uma mensageira! E o corpo, essa “máquina” indescritível e misteriosa, é o veículo! Ele nunca mente! O corpo sempre tem razão! Ele mostra! Quer queiramos ou não! Precisamos apenas aprender a ler estas mensagens! 

 

A Constelação Familiar e todo o conhecimento sistêmico é a base do MULHERES EM SI. E, a partir de agora, o trabalho terá outros formatos: aulas online, grupos presenciais e retiro pra gente dar um “reset e um refresh” profundo na vida.

Além das constelações também utilizo a Dança Livre como ferramenta de acesso e liberação de memórias, Meditações, Dinâmicas de grupo, o poder dos Cantos e Rezos, Toques de tambor, etc..

 

Porque escolhi MULHERES EM SI?

 

Porque não existe doença ou dificuldades que permaneçam quando estamos no nosso lugar e, consequentemente, em nós mesmas! Ocupando o nosso corpo, trilhando o nosso próprio caminho com nossas próprias escolhas!

A SOLUÇÃO é estar em Si. Ser soberana de si. Ser dona de si.

 

“No meu lugar eu tenho força” (Bert Hellinger)

 

Quando ocupamos o nosso lugar dentro da nossa família as coisas ‘magicamente’ vão se encaixando e se resolvendo ao nosso redor. É impressionante. Mas atenção, eu não estou prometendo uma solução fácil aqui. Aliás, se liga com trabalhos que prometem o que quer que seja. Ocupar o nosso lugar exige de nós muita consciência, consistência e atitudes novas. A parte mágica acontece depois da compreensão que tivemos e da AÇÃO que tomamos! E pra cada pessoa isto acontece em um tempo diferente.

A vida é pedagógica e estamos em constante aprendizado. Não tem um lugar pronto pra se chegar.

A raiva que você passa é proporcional ao limite que VOCÊ não estabelece.

A angústia que você sente é proporcional às ações que VOCÊ não toma.

 

A vida nos pede o novo o tempo todo! Movimento!

 

NINGUÉM VAI FAZER POR VOCÊ O QUE SÓ VOCÊ PODE!

 

Fez sentido aí?

 

Vai ser um prazer pra mim ter você caminhando junto.

 

Amor,

 

Marina Rabelo

---

“Você se lembra de quem você era antes do mundo dizer como você deveria ser?”

 

·  Quem sou eu de verdade?

·  Estou perdida, exausta, pra onde ir?

·  Porque não encontro a “cura” pra minha “doença”?

·  Onde está meu poder e minha força?

·  Porque será que tudo que rejeito nos meus pais eu acabo repetindo igualzinho?

·  Por que tenho tanta dificuldade quando o assunto é relacionamento afetivo?

·  Por que minha vida não prospera?

·  Onde estou presa?

·  Como faço pra me cuidar no dia a dia?

·  Qual o caminho do auto amor e da auto aceitação?

Este trabalho poderá lhe trazer respostas à muitas destas perguntas... 

EXPERIMENTE- Si!